Written by andre on maio 10, 2022 in KROMINOX

Um passeio pelo monumento Cloud Gate, em Chicago

Sabemos que o aço inox é utilizado de forma recorrente na construção civil para obras de edificação residencial, comercial e públicas. Está presente em diferentes pontos de uma cidade e facilmente identificamos onde foi aplicado. Concorda que na maioria das vezes o nosso olhar é voltado para a questão da segurança? Afinal, o aço inox é um material resistente, de alta durabilidade e com mínimas chances de corrosão.

Mas não é só isso! Por todos esses atributos, o aço inox está cada vez mais presente na arte: em bustos, esculturas e monumentos, em diversos lugares do mundo, como o Cloud Gate, instalado no coração de Chicago, no Millennium Park, desde 2006.  

Também conhecido como The Bean (O Feijão), o Cloud Gate foi projetado pelo escultor britânico Anish Kapoor, reconhecido internacionalmente por trabalhos ao ar livre, sendo esta obra a mais famosa de sua carreira. Sem dúvida, esse monumento é um dos principais pontos turísticos da cidade de Chicago, tanto por sua grandiosidade, quanto por seu significado e possibilidade de interação que oferece.

Para construir o Cloud Gate foram necessárias 68 chapas de aço inox sem costura, que foram encaixadas, soldadas e polidas. Inclusive, esse tipo de acabamento polido é o que permite que o Cloud Gate reflita o céu da cidade em sua parte superior, oferecendo uma experiência interativa aos visitantes, que podem ver seu reflexo nesse enorme monumento. Inspirado no mercúrio líquido, o Cloud Gate ainda reflete permanentemente as pessoas se movendo ao redor do parque, as luzes da Michigan Avenue, o horizonte circundante e o espaço verde. Ao todo, ele possui 10 metros de altura, 12 de largura e 20 pés de comprimento, pesando em torno de 110 toneladas.

E como manter fixo esse monumento em formato de feijão, com sinuosa curvatura?  Devido à tecnologia aplicada durante sua construção, o interior do Cloud Gate é composto por uma rede de dois grandes anéis de metal, conectados por uma estrutura de treliça (parecida com as das pontes urbanas), permitindo que o peso maciço da escultura seja direcionado para seus dois pontos de base. E olha que interessante: toda a parte externa do monumento está preso à estrutura interna por conectores flexíveis, que permitem que ele se expanda e contraia conforme as mudanças do clima.